"O Turista exige, o Peregrino agradece..." - trata-se de um dito popular no Caminho, e é verdade. Ser capaz de aceitar com carinho, atenção e gratidão o que te oferecerem faz parte do treinamento não oficial do qual participamos todos ao fazer o Caminho de Santiago. Obviamente que não vamos aceitar ser maltratados com um sorriso, talvez com um perdão pode ser. Tente mudar os conceitos e padrões pré-existentes, concentre-se no seu Caminho, e agradeça por ter uma cama para descansar, um teto para te proteger e um chuveiro para se limpar e se preparar para o novo dia de caminhada.

Albergues - Os Hospitaleiros

O Hospitaleiro - é um personagem à parte que merece todo nosso respeito, admiração e até ajuda se necessário. É aquele homem ou mulher que fica no Albergue recebendo e ajudando os Peregrinos, indicando as camas, carimbando nossas credenciais, e que mesmo não sendo sua obrigação, faz de tudo para nos ajudar, até nos medicando e tratando nossas feridas, ou chegando ao ponto de nos transportar a um hospital ou farmácia quando nos encontra mal de saúde. Jovens ou mais velhos, estão sempre com um sorriso, e se não estiverem sorrindo quando chegar, provavelmente estão sérios tentando fazer o melhor trabalho possível, e preocupados para fazê-lo rápido assim outros Peregrinos não terão que esperar tanto para serem atendidos e poderem descansar.

Nunca se esqueçam disso: São gente como a gente, que possuem uma boa intenção, mas que também são humanos e sujeitos às mesmas dificuldades e a dias bons e ruins como todos nós. Sejamos compassivos, compreensivos e capazes de exercitar o perdão.

Há várias formas de se identificar aqueles que, apesar de se chamarem Peregrinos, não carregam em si esse espírito. A mais rápida é testemunhar como tratam e respeitam os Hospitaleiros.

"Entendi ... então, sempre que há conflitos e problemas, a culpa é daquele que se hospeda, nunca do hospitaleiro?"

Não, claro que não. Primeiro, tentemos parar com a constante caça a culpados, não se trata disso. Façamos a nossa parte, sejamos compreensivos e pacientes com os hospitaleiros e tentemos buscar um convívio curto de harmonia.

Infelizmente, entretanto, é triste ter que admitir que, cada vez mais, com a explosão dos números de peregrinos e "peregrinos" no Caminho, as cidades estão sendo tomadas por "Albergues", de propriedade de investidores que têm como objetivo principal o dinheiro dos peregrinos e que colocam para "cuidar" do albergue pessoas sem qualquer vínculo com o Caminho, o que resulta naquela situação conhecida em que chegamos (muitas vezes fisicamente debilitados), e a pessoa nem nos olha nos olhos - somente pede nossa credencial, nosso passaporte, anota os dados, recebe o pagamento, nos dá o troco e nos diz qual a cama ou liteira (beliche) que devemos ocupar ... depois disso, desaparecem e, se incomodados, te tratam com indiferença e fazem o mínimo possível, com um mau humor característico.

Se há Peregrinos e "peregrinos", sim, também há Hospitaleiros e "hospitaleiros".

Sugestão: seja sempre educado, comporte-se como Peregrino, e facilmente poderá identificar quem está ali cuidando do Albergue e de você.

Versão: 6.0 - 2019

No Caminho

de Santiago

Facebook

Os Caminhos

As Dicas

Os Albergues

Mídia

Literatura

Links

Peregrinos

Os SIXTOs

"Sozinhos, chegamos mais rápido ... juntos, chegaremos mais longe."

Agradecemos sua visita e sua confiança, e te desejamos, de coração, um